Noticias • Complexidade do conflito israelo-palestino é tema de coluna no NYTimes

Complexidade do conflito israelo-palestino é tema de coluna no NYTimes

Por IBI Fonte NYtimes | Categoria: Política
Whatsapp

Matti Friedman -  autor dos livros  “The Aleppo Codex,” “Pumpkinflowers” e seu próximo lançamento “Spies of No Country: Secret Lives at the Birth of Israel.” - assina a coluna que defende ser preciso olhar o conflito por mais de um ponto de vista. Além disso, o autor também foca na ideia de a maioria das guerras israelenses não foram travadas contra os palestinos, mas reações a invasões dos outros países árabes e que a grande ameaça a existência do Estado de Israel hoje se concentra no Irã. 

O IBI traduziu os alguns trechos do texto, publicados abaixo. 

“Para alguém aqui em Israel, tudo isso é cada vez mais difícil de entender. Não existe um conflito israelo-palestiniano do jeito que muitos estrangeiros parecem pensar, e essa lacuna de percepção vale a pena ser explicitada. Não tem nada a ver com ser de direita ou de esquerda no sentido americano. Para emprestar um termo do mundo da fotografia, o problema é o zoom. Simplificando, pessoas de fora são ampliadas, e as pessoas aqui em Israel são reduzidas. Entender isso tornará os eventos mais fáceis de compreender”.

“Quando vejo a Cisjordânia como um israelense, vejo 2,5 milhões de civis palestinos vivendo sob o regime militar, com toda a miséria que isso acarreta. Estou vendo os muitos erros graves que nossos governos fizeram no manejo do território e de seus moradores, entre eles a construção de assentamentos civis. Mas como estou com menos zoom, também vejo o Hezbollah (não palestino), e os russos e iranianos (não palestinos) e os insurgentes afiliados ao Estado Islâmico (não palestinos) em nossa fronteira com a Península do Sinai, no Egito. Estou considerando o resultado desastroso do vácuo de poder na Síria, que fica a 90 minutos de carro da Cisjordânia”.

"Mas qualquer um que use uma lente mais ampla vê que o contexto real aqui é uma guerra complexa e multifacetada, ou um conjunto de guerras interligadas, devastando essa parte do mundo. O escopo desse conflito é difícil de entender em reportagens fragmentadas, mas é fácil ver se você tira um mapa e olha para os arredores de Israel, da Líbia, passando pela Síria e pelo Iraque, até o Iêmen”.

“Abandonar os prazeres da história simples para as realidades confusas do quadro maior é emocionalmente insatisfatório. A este observador é negado um vilão claro ou uma solução ideal. Mas isso torna os eventos aqui compreensíveis e encorajará os formuladores de políticas ocidentais a abandonarem visões fantásticas em favor de uma compreensão mais razoável do que é possível. E isso, por sua vez, poderia levar a algumas melhorias tangíveis em um mundo que poderia usar menos ilusões e líderes mais sábios”.

Leia a matéria original e na íntegra aqui


Inscreva-se