Noticias • Michel Gherman analisa movimento Sionista e a disputa de passados

Michel Gherman analisa movimento Sionista e a disputa de passados

| Categoria: Noticias
Whatsapp

A formação de sionismos, em uma perspectiva plural, esteve no centro da discussão proposta pelo professor Michel Gherman na última quarta-feira (05), durante a terceira aula do curso organizado pelo IBI, no Rio de Janeiro. Gherman analisou o uso do termo no singular como uma forma de exclusão de divergências internas no movimento. 

Logo no início do debate, o professor destacou o uso político do sionismo feito pelos pentecostais, recorte que faz parte da pesquisa desenvolvida pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos e Árabes (NIEJ) da UFRJ, do qual Gherman é coordenador.

Além disso, o docente contextualizou o tempo histórico que possibilitou o resgate do questionamento sobre o que é ser judeu, que ambientou os movimentos e perspectivas surgidas no século XIX. 

Explorando ao mesmo tempo seis vertentes do movimento sionista – político, revisionista, trabalhista, socialista, cultural e territorialista –, Gherman abordou o pensamento de figuras como Theodor Herzl, Vladimir Jabotinsky, Aaron David Gordon, Ber Borochov e Ahad Ha’am, importantes lideranças das principais correntes sionistas dos primeiros Congressos. 

Por fim, Gherman mencionou eventos históricos que precisam cada vez mais ser revisitados, ainda mais diante das configurações políticas vividas atualmente, como o caso Dreyfus, que permite aprofundar questões como o antissemitismo e o surgimento da categoria de intelectual público.

Inscreva-se