Noticias • IBI e UMES promovem a Mostra de cinema Israel-Palestina

IBI e UMES promovem a Mostra de cinema Israel-Palestina

| Categoria: Noticias
Whatsapp

Entre os dias 29/11 e 01/12 ocorreu a Mostra de cinema Israel-Palestina: Caminhos para a paz, um evento realizado pelo Instituto Brasil Israel e pela União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (UMES). Os filmes escolhidos para a mostra explicitaram diferentes perspectivas do conflito e contribuíram para construção de uma narrativa que busca a paz.

Ao fim da exibição dos filmes, houve um debate entre Daniel Douek, mestre em Letras pelo Programa de Estudos Judaicos e Árabes da USP e colaborador do Instituto Brasil-Israel, e Ualid Rabah, presidente da Federação Árabe Palestina do Brasil (FEPAL), com mediação de Nataniel Braia. O debate foi focado no ultimo filme da mostra, o documentário "Promessas de um novo mundo", dos diretores Justine Shapiro, Carlos Bolado e B.Z. Goldberg. Para assistir o debate, na íntegra, clique aqui.

Ualid Rabah enfatizou que a questão palestina não é uma questão religiosa, nem partidária, nem possui uma visão única do mundo, mas é uma questão de soberania nacional e de direito a auto-determinação. Ualid também falou da importância de discutir o direito dos refugiados palestinos, as fronteiras definitivas, a utilização dos recursos da região, a segurança para todos (militarização ou desmilitarização para todos), e um arranjo global que estabilize a região da Palestina. Para Rabah, é importante discutir, inclusive, com os que divergem de suas opiniões.

Daniel Douek elencou as quatro guerras travadas, tanto do lado israelense, quanto do lado palestino: a guerra pela segurança do Estado de Israel vivendo ao lado de um Estado Palestino, a guerra pela manutenção da ocupação e pela Grande Israel, a guerra pela criação de um Estado Palestino ao lado do Estado de Israel e com o fim da ocupação militar israelense em territórios palestinos, e a guerra pelo fim do Estado de Israel. Segundo Daniel, apenas as guerras que buscam a coexistência de ambos os Estados, lado a lado, são legítimas.

Inscreva-se